Sergius Erdelyi
Arte Visual
 
 
  Home / Biografia
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Síntese Biográfica

O artista de fim-de-semana

Com mais de quatro mil obras, quase todas criadas nos fins-de-semana, Sergius Erdelyi encarou ao longo de sua incrível vida criativa, a arte como uma espécie de “terapia e regeneração” do estresse cotidiano de sua vida de empresário.

A biografia de Sergius Erdelyi se divide em quatro fases:

  • Da Infância à Maturidade
  • Do Artista/Escultor/Pintor/Gravador/Designer
  • Do Inventor e Empresário
  • Do Ecologista e Filantropo


• Da Infância à Maturidade

Sergius Erdelyi nasceu em 8 de outubro de  1919, na cidade de Neusatz  (parte do antigo Império Austro-Húngaro), hoje Novi Sad, Sérvia.
Filho de  Michael Erdelyi, austro-húngaro de origem rutena, e de Leopoldine Erdelyi, austríaca de Viena.

Em 1944 formou-se em Engenharia Mecânica pela Universidade de Zagreb, (capital da atual Croácia), realizando paralelamente estudos científicos na área de fotoeletricidade e termoeletricidade com o Prof. Plotnikow da Universidade de Zagreb.

Em 1948  casa-se com Stefanie, com quem viveu por 60 anos. Após a morte da esposa, em junho de 2008, casou-se com Elisabeth Loibl, arqueóloga e escritora.

Em 1953 emigra para o Brasil.
Em 1976 naturalizou-se Brasileiro.

• O Artista - Escultor - Pintor - Gravador - Designer

Citando uma passagem do artigo publicado na Gazeta do Povo de Curitiba, em 22.5.2011:
Autodidata, é à mãe, a austríaca Leopoldine Erdelyi, que deve os conhecimentos de arte. Casada com o comerciante Michael Erdelyi e grávida de Sergius, ela começou a repassar os futuros dotes artísticos para o filho ainda na barriga. “Quando ela estava grávida leu muita coisa de arte, de grandes escritores. Quis alimentar o feto não só com o corpo, mas com cultura. Isso é muito recomendável para cada mãe. Em vez de fumar e pôr nicotina no pobre bebê, é pensar em como você quer que fique a pessoa que está dentro de você.

Por volta de 1936 iniciou suas atividades de arte em Zagreb,  onde recebeu suas primeiras instruções de um professor de arte alemão, de München (Munique) no ginásio, com o qual aprendeu a trabalhar com aquarela e pastel.

Entre 1936 e 1937 (antes da 2ª Guerra),  produziu pinturas  à pastel, óleos e desenhos com lápis, todas perdidas.
Entre 1946 e 1952 (após a 2ª Guerra), continuou com as pinturas  à óleo e acrescentou trabalhos com aquarela e pastel.
Em 1950 inventa, em Viena, o mosaico de vidro transparente para vitrais.

Estilos e Técnicas:

A partir de 1956, já radicado no Brasil (desde 1953), seus estilos e técnicas se multiplicam e diversificam.
Até meados de 2012, somam-se mais de  4 mil obras catalogadas e registradas de:

Calcogravura (Cobre); Composição (Acrílico, Colagem, Isopor e Spectro Holográfico); Desenho (Grafite, Hidrocor e Lápis de cor); Esculturas (Alumínio, Acrílico, Concreto, Isopor, Madeira, Mármore, Metal, Spectro Holográfico e Pedra); Pinturas (Acrílica, Álcool com Pigmento, Aquarela, Digital, Dripping, Giz pastel, Gouache, Hinterglas, Laca, Laca Escorrida e Óleo); Tapeçaria (Smirna); Mosaico (Petit Pavê, Porcelana e Vidro); Vitrais de mosaico de vidros (aprox. 100 vitrais de Arte Sacra, divididos entre duas igrejas e duas capelas, e 150m²  retratando a História da Humanidade, distribuídos no terceiro andar da Biblioteca da PUC-PR- Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba).

Exposições

Suas exposições se iniciam em 1952 na Viena (secession ), passando pelos Estados Unidos (em 1968 e 1970), novamente Viena (Künstlerhaus, em 1970) e pelo Brasil em diferentes épocas, cidades, galerias e eventos, até hoje (2012). Detalhes no Curriculum Vitae de Artes

Projetos arquitetônicos

Entre 1960 e 1965, constrói a casa/ateliê no Guarujá – SP.
Em 1975 projeta o complexo arquitetônico da casa sede, na Fazenda San Francisco, em estilo austríaco, onde também funciona seu ateliê, em Tijucas do Sul – PR.
Entre o final da década de 1980 e 2007 constrói, em épocas distintas, três museus, sendo os dois últimos ativos e próximos à casa sede.
Em 5 de Junho de 2009 é inaugurado o Centro de Pesquisa Florestal Stefanie Erdelyi (complexo de salas de aula e laboratório).
A partir de 2010 e até hoje, envolveu-se na construção de Casas Familiares e Populares, em parceria com o plano “Minha Casa Minha Vida”, igualmente em Tijucas do Sul-PR.

• Do Inventor e Empresário

Entre 1945 a 1947, destaca-se pela invenção  do aquecedor domiciliar (patenteado em 1946), utilizando óleo mineral cru, salvando milhares de lares em Viena dos invernos rígidos de 1945 a 1947.
Em 1947 fundou em Viena e Insbruck a fábrica de máquinas de costura ETINA, com  o registro de 20 patentes, que liderou até 1952.
Em 1953 emigrou para o Brasil, onde, entre 1953 e 1957, foi diretor da fábrica IBRAMAC-Indústria Brasileira de Máquinas de Costura, em São Paulo.

Em 1957 fundou as firmas ESTE-Equipamentos Industriais e Erdelyi Equipamentos Industriais, ambas em São Paulo.
Em 1958 fundou a Erdelyi Fabricadora, em São Paulo.
Em 1963 associou-se à empresa multinacional alemã Dürr, de Stuttgart. Em 1974, já em Tijucas do Sul, Paraná, criou a Erdelyi Participações e  Representações Ltda. e a PANAGRO Empreendimentos Florestais Ltda.
Um ano depois, em 1975, surgiu a Fazenda San Francisco Ltda.
Em 2011 funda a Arbor – viveiros de árvores nativas para plantar áreas  para o Projeto Petróleo Verde, que visa energia alternativa, resultando em parceria com a Prefeitura de Tijucas do Sul.


• Do Ecologista e Filantropo

Defensor e protetor incansável da ecologia e do meio ambiente criou diversos programas:
  • Em 1974 reflorestamentos da Panagro em áreas montanhosas, preservando, ao máximo, florestas nativas e núcleos ecológicos, num total de 4.200 ha, para plantar milhões de árvores.
  • Em 1998 o Vivat Floresta, área de pesquisa florestal, ecológica e proteção da vida animal silvestre – 780 ha.
  • Em 2000 surgiu a Vivat Araucária, 220 ha, com plantio de 200 mil árvores.
  • Em 2007 a Vivat Neutro Carbo, combate ao aquecimento global, 4.200 ha.
  • Em 2008, a Vivat Acqua, levantamento de possíveis fontes para exploração de água mineral ou potável.
  • Fazem parte deste grande contexto, os Viveiros Florestais, criados entre 1974 a 1980 (viveiro da Panagro, com capacidade de produção de 1 (hum) milhão de mudas de pinus e eucaliptus por ano).
Em 1989 deu vida à Instituição Filantrópica Sergius Erdelyi e do Lar da Criança, bem como da Creche São Francisco, conveniados, na época, com a Sociedade Paranaense de Cultura-SPC e Associação Paranaense de Cultura-APC, atuando em variadas ações.
Em 2010 doou as entidades à Prefeitura de Tijucas do Sul.

Em 1999 foi-lhe conferido o título de Cidadão Honorário de Tijucas do Sul.

E em 2009,  em merecimento aos projetos acima citados, recebeu o  título de Doutor Honoris Causapela Pontifícia Universidade Católica do Paraná.


Mais Fotos:


Voltar
 
     
 
Home Biografia Currículo Galeria Eventos Imprensa Livros Museu Fale Conosco

Sergius Erdelyi Atelier. Todos os direitos reservados. All rights reserved © 2012